DEVORÁVEL. CARTAZ

A obra audiovisual “Devorável” reflete a antropofagia brasileira e a cultura de massa. Estes são conceitos tensionados quando uma musa contemporânea e tropical devora a poesia. A videoarte, com direção e roteiro de Tchello d’Barros, tem como propósito não só mostrar possibilidades de inserção da poesia, mas também levantar questionamentos quanto aos desejos, sentimentos e necessidades dos sujeitos contemporâneos.

Nós somos o que comemos? “Você tem fome de quê”? O que alimenta nossa alma? Como a arte entra em nós? Não necessariamente as respostas a estas questões serão encontradas no vídeo, mas o público pode pensar, por exemplo, sobre os conteúdos que alimentam a sociedade nesta era de hiperinformação e endurecimento dos sentimentos. Se nos referirmos às ideias de Zygmunt Bauman, por exemplo, podemos analisar a obra a partir da perspectiva da “modernidade líquida”, na qual “tudo que é sólido se desmancha no ar”. As efemeridades do tempo atual torna as ações e sensações passageiras, alimentando desejos descontínuos ou, pelo menos, excessivos diante de tantas opções de consumo, inclusive, de arte.

“Devorável” é uma produção do Coletivo Praia Vermelha Filmes, formado por profissionais e estudantes com passagens temporais comuns pela Escola de Comunicação da UFRJ. O vídeo foi gravado com tecnologia 4K, que permite uma boa qualidade de imagem. Também foi utilizada técnica de chroma key, um  efeito visual que consiste em colocar uma imagem sobre uma outra por meio do anulamento de uma cor padrão, como, por exemplo, o verde. O procedimento serve para eliminar o fundo de uma imagem para isolar os personagens ou objetos que, na pós-produção, são combinados com uma outra imagem de fundo.

A videoarte estreou no Museu de Arte Contemporânea de Niterói – MAC/RJ e já foi apresentada no Cine Joia (Rio de Janeiro, RJ); Sarau Cultural da OAB Barra (Rio de Janeiro, RJ); Feira do Livro de Bento Gonçalves (RS); Festival Indústria da TV (Niterói (RJ); Cine Mosquito (Cabo Frio, RJ); Centro de Literatura do Forte de Copacabana (Rio de Janeiro, RJ); Festival Jaques Prevert, na Maison do Consulado Francês (Rio de Janeiro, RJ); Sarau Fio Multicultural, no Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ (Rio de Janeiro, RJ); Fundação Cultural FCB (Blumenau, SC); Terça ConVerso, no Teatro Gláucio Gill (Rio de Janeiro, RJ); Festival de Curtas da Facha (Rio de Janeiro, RJ); Mostra Artefatos Poéticos (São Paulo, SP); Festival Poesía y Música – UNGS III 2018, na Argentina; e Muestra de Audiovisual VPM 2018 (Santiago de Chile).

FICHA TÉCNICA

Videoarte | 1,2 min | Livre / Rio de Janeiro | 2016 / Praia Vermelha Filmes

Atriz: Mariana Parga / Roteiro e Direção: Tchello d’Barros / Assistente de Direção: Guinevere Gaspari / Direção de Fotografia: Milton Lopes / Assistente de Fotografia: Fernanda Bastos / Still: Adriele Pereira / Direção de Arte: Mariana Saguias / Maquiagem: Mariana Saguias / Direção de Produção: Clécia Oliveira / Produção: Guinevere Gaspari e Natália Alvim / Assistente de Produção: Camilla Gutrop / Som e Trilha Musical: Kadu Barros / Edição: Nathanael Sampaio

*Acompanhe as próximas exibições na página:

“Devorável”

Por Clécia Oliveira – Jornalista e Produtora